ÚLTIMAS NOTÍCIAS / Planejamento

Paraná segue no topo do ranking brasileiro do emprego industrial

Sexta-feira, 11 de outubro de 2013


A indústria do Paraná se manteve no topo do ranking brasileiro do emprego industrial no acumulado dos últimos 12 meses, com alta de 0,8% na mão de obra ocupada pelo setor. A informação é da Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário (PIMES), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgada nesta quinta-feira (10/10).

As atividades industriais do Estado que apresentaram melhor desempenho na abertura de empregos nos últimos doze meses foram: têxtil, fumo, produtos químicos, alimentos e bebidas, máquinas e equipamentos e refino de petróleo e álcool. No mesmo período, o número de postos de trabalho na indústria nacional caiu 1%.

O Paraná mantém o bom desempenho apesar do registro de queda de 0,8% no emprego industrial no comparativo de agosto de 2013 com o mesmo mês do ano passado. Na média brasileira houve retração de 1,3% para o mês, com redução de postos de trabalho em treze dos 14 locais pesquisados pelo IBGE.

No acumulado de janeiro a agosto de 2013, o emprego nas unidades industriais do Paraná avançou 0,7%, contra uma baixa de 0,8% para o Brasil, sendo que onze dos quatorze locais pesquisados registraram queda.

FOLHA – Neste ano, a folha de salários reais (descontada a inflação) do setor fabril estadual teve expansão de 2,6%, contra aumento de 2,4% na média brasileira no acumulado do ano. Em agosto, o nível salarial do Paraná cresceu 2,8%, no confronto com o mesmo mês de 2012. No País, houve retração de 0,2%.

No acumulado de doze meses, encerrados em agosto de 2013, a pesquisa demonstra que o volume de salários reais teve comportamento positivo do Paraná, que acelerou 5%, frente alta de 3,7% para o Brasil.

HORAS - Em relação ao número de horas trabalhadas, o Paraná mostrou queda de 0,2%, diante de um recuo de 1,1% para a média nacional nos últimos 12 meses. Neste ano, o volume de horas pagas pela indústria paranaense registrou leve recuo de 0,1%, frente queda de 0,9% para o País. Em agosto, a taxa caiu 2%, contra -1,4% no Brasil.

A economista Ana Silvia Martins Franco, do Núcleo de Macroeconomia e Conjuntura do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes), avalia que os dados da PIMES para o mês de agosto de 2013 “confirmam o estágio de acentuado dinamismo exposto pelas variáveis do mercado de ocupações no Paraná - ancorado na agroindústria e bens de capital -, apontado por outras cestas de indicadores”.

INTERIOR – Ana Silvia lembra que o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho em Emprego (MTE), mostra que o Paraná foi responsável por 13,3% dos empregos com carteira assinada da indústria de transformação do País entre janeiro a agosto de 2013.

“Ademais 97,5% dos empregos industriais foram proporcionados no interior do Estado, corroborando a tendência de disseminação geográfica da expansão do mercado de trabalho industrial vivida pelo Paraná”, afirma a economia.

Para a economista, o crescimento da mão de obra empregada na indústria paranaense “reflete a recuperação dos níveis de produção do setor fabril e a maturação de investimentos de empresas que vem se instalando no Paraná desde o começo de 2011”. Nesse período o Estado já atraiu mais de R$ 25 bilhões em investimentos industriais.

Fonte: Agência Estadual de Notícias

 Outras Notícias