Encontro de viticultores vai marcar inaugurao do projeto, o primeiro de outros investimentos que sero feito pelo governo municipal no local para referendas atividades ligadas produo de uvas

Centro de Eventos do Parque da Uva ser inaugurado dia 7

Segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Última Modificação: // | Visualizada 160 vezes


Ouvir matéria

O vigor da viticultura em Marialva, atividade que ancora o desenvolvimento econômico do município, ganhará no dia 7 de agosto mais uma importante referência. Trata-se do Centro de Eventos do Parque da Uva, projeto em fase de conclusão que será inaugurado com encontro que debaterá os rumos da produção de uva.

 
O Centro de Eventos é o primeiro empreendimento do Parque da Uva, uma área de cinco alqueires localizada às margens da BR 376 que pretende concentrar diversos outros equipamentos para valorizar a atividade vitícola. Entre outros eventos, o local vai abrigar a futura edição da Festa da Uva, que será realizada em 2010.
 
O cultivo de uvas no município, intensificado a partir a partir dos anos 70, hoje cobre porção expressiva da área rural do município, reconhecido no Estado como ‘Capítal da Uva Fina’. O título se justifica com números: a atividade emprega cerca de 6 mil pessoas e movimenta cerca de R$ 60 milhões/ano, o que representa 50% da receita gerada pela agricultura.
 
A atividade se desenvolve amparada em pesquisas e assessoria técnica, apoio que assegura inovações tecnológicas no manejo dos parreirais com conseqüente aumento da produção de diversas variedades, prevalecendo o cultivo das uvas rubi e benitaka. A uva produzida no município abastece mercados do Paraná e da região Sudeste.  
 
Para garantir a qualidade da uva encaminhada ao mercado para comercialização, Marialva adotou em caráter inédito no país lei que pune produtores que retiram dos parreirais e vendem frutos com baixo teor de açúcar. A chamada ‘lei da uva verde’ reforçou a credibilidade do produto local junto aos consumidores e valorizou o preço.
 
 
A fiscalização é rigorosa e carga de fruta em desacordo com a lei é apreendida e destruída. “Pode parecer uma medida radical, mas fazemos isso em defesa dos próprios produtores”, afirma o secretário de Agricultura e Meio Ambiente Luiz Stéfano, acrescentando que graças à medida a uva produzida no município é mais valorizada nos grandes centros consumidores.
 
O rigor na fiscalização vai além do município, que contratou estagiária de Agronomia para atuar na Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp). Ele analisa a uva que chega de Marialva ao mercado e, caso constate irregularidade, informa imediatamente a Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente.
 

 Galeria de Fotos

 Veja Também