O estande montado pela Prefeitura de Marialva na Expoing, em parceria com a Emater, cumpriu o objetivo de dar visibilidades aos produtos que gravitam a cadeia produtiva da viticultura, atividade que sustenta o vigor econmico do municpio. ?Foi um sucess

Marialva faz mapa tecnolgico do campo

Segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Última Modificação: // | Visualizada 168 vezes


Ouvir matéria

Os produtos gerados pela cadeia produtiva da uva, como sucos e geléias, foram os atrativos do estande, além da fabricação de vinho, atividade que começa a se desenvolver no município por conta de cooperativa que reúne produtores. Mas o que chamou a atenção de lideranças ligadas ao setor produtivo foi o projeto de georreferenciamento desenvolvido pelo município em parceira com a Emater.
Iniciado há dois anos, o projeto representa iniciativa inédita no Estado no sentido de levantar informações diversas sobre propriedades rurais a partir e levantamentos de satélite e uso de GPS (Global Positioning System). Trabalho de campo desenvolvido por universitários da UEM garante a confiabilidade dos dados angariados junto aos produtores.
“Ainda que não esteja concluído, o projeto já nos oferece um conjunto de informações importantes para o gerenciamento das atividades agrícolas desenvolvidas no município”, afirma Luís Stéfano, secretário de Agricultura e Meio Ambiente. O trabalho desenvolvido no município vai servir de base para ser aplicado em outras regiões do Estado.

Dados como tipos de solos e altitudes das propriedades rurais, informações já coletadas pelo projeto, podem orientar o produtor rural sobre quais culturas se adaptam melhor em cada uma das regiões do município. “O banco de dados que está sendo viabilizado pelo projeto constitui ferramenta moderna para ações de valorização do campo”, afirma o prefeito Humberto Feltrin.

Projeto de Georeferenciamento desenvolvido no município graças a uma parceria entre a Prefeitura e Emater é um trabalho complexo que exige exaustivo trabalho de campo, com visita às propriedades rurais para obtenção de informações que alimentam um banco de dados. Ainda que já tenha expirado o contrato entre os parceiros, Emater e Prefeitura se comprometeram em concluir o projeto.

“Essa iniciativa tem enorme importância como recurso de gestão das atividades agrícolas não apenas para o município, mas também para o produtor rural que vai poder contar com um banco de dados capaz de fornecer-lhe um conjunto de informações muito úteis para a administração do seu negócio. Sendo assim, vamos concluí-lo com toda a certeza”, disse o prefeito Humberto Feltrin.
 

 Galeria de Fotos

 Veja Também