Centro de Atendimento Psicossocial de Marialva distribui panfletos com informaes sobre distrbios mentais para minimizar preconceito com portadores do problema

Caps contra o preconceito no Dia Mundial da Sade Mental

Segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Última Modificação: // | Visualizada 145 vezes


Ouvir matéria

 

Distribuição de panfletos com informações sobre distúrbios mentais marcou a comemoração do Dia Mundial da Saúde Mental (10 de outubro) em Marialva. A iniciativa do Centro de Atendimento Psicossocial (Caps) buscou minimizar o preconceito que cerca os problemas de fundo psiquiátrico e psicológico.
 
Foram entregues à comunidade mais de mil panfletos com esclarecimentos diversos sobre os distúrbios que não distinguem sexo, ainda que as mulheres busquem com mais freqüência ajuda, já que os homens ainda resistem em reconhecer seus problemas.
 
Além dos panfletos, o centro confeccionou adesivos para combater o preconceito, ainda o principal obstáculo a ser superado no tratamento dos distúrbios. Identificados com camiseta da mobilização, atendentes do Caps foram às ruas da cidade cumprir a missão.
 
De acordo com Lúcia Isabel Ricieri, coordenadora do Caps de Marialva, as pessoas que necessitam de algum tipo de ajuda para eventuais transtornos mentais são encaminhadas ao Caps por médicos do Programa Saúde da Família (PSF) ou instituições hospitalares.
 
 
O Caps de Marialva funciona num moderno prédio inaugurado este ano pelo governo municipal. No centro os pacientes recebem atendimento especializado de pedagogas, psicólogas e psiquiatra e participam de atividades lúdicas, como bordado, pintura, crochê, tricô e artesanato, que funcionam como terapia.
 
“No processo de recuperação o apoio da família é fundamental assim como sua determinação do paciente em enfrentar e superar o problema”, explica Lúcia Ricieri, lembrando que o uso continuado de medicamentos nem sempre é levado a sério, o que conspira contra o sucesso do tratamento,
 
 A estrutura do Caps de Marialva é formada por duas pedagogas, três psicólogas, uma enfermeira e um auxiliar de enfermagem, além de outros funcionários do setor administrativo. A instituição é considerada referência de atendimento na área psicossocial na região em função de sua infra-estrutura.
 

 Galeria de Fotos

 Veja Também